terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Depoimento de um apaixonado.

E ontem dia 22 de fevereiro de 2010  eu preparava uma grande cesta com as comidas preferias de Julia, uma almofada com nossa foto, um álbum com toda nossa historia, um grande urso que há dois anos ela me disse que amaria ganhar e um sapato rosa que ela viu numa loja e estava juntando dinheiro pra comprar, eu e Julinha completaríamos 2 anos de namoro, só que ela me ligou logo de manhã e pediu desesperadamente que eu não fosse ver ela porque ela estava passando muito mal porque estava naqueles dias, mais que amanhã sem falta iria me ver, eu logo fiquei preocupado e concordei, mais também achei que Julia iria à minha casa fazer alguma surpresa pelo nosso aniversário de namoro, e assim esperei por ela o dia todo, fiquei Preocupado daí pensei nela em casa passando mal, e não receber nada em nosso aniversário de namoro foi ai que tive a idéia.
Eram umas 8 horas da noite quando sai de casa pra ir rapidinho na casa da Julia somente pra entregar a cesta e dizer a ela que mesmo com alguns problemas em nosso namoro, ela era a mulher da minha vida e que eu a amava mais do que tudo na minha vida. E fui pra a casa dela sem falar nada claro, porque senão ela já ficaria brava por eu fazer isso.
Quando virei à esquina da casa de Julia vi uma garota no portão da casa dela sozinha, e estranhei, pois um menino saiu de atrás da sombra de uma árvore  e beijou a menina, eu prestei atenção e vi que a menina beijando o menino era a minha Julia, 
a menina que a mais de dois anos vi saindo de sua escola e me apaixoneiapaixonei pelo simples jeito quieto dela, um jeito diferente, agora eu tinha visto a Julia que havia se transformado em desinibida e muito diferente do que eu conheci um dia.
Foi assim que meu coração disparou, meu juízo num piscar sumiu e minha consciência estava em algum lugar bem longe dali e meu grito quase inconsciente saiu : JULIIAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA.
ela se assustou e lembro dela falar ao menino que eu era seu namorado, e ele logo saiu de perto da gente acho que até correndo pois ele parecia bem mais novo que eu, nem lembro do que Julia falou pra mim, mais ela me chamou Do que não me chamava havia tempos, 
meu amorela me chamou de meu amor, mais meu sentimento morto naquela hora não entendia isso, minha primeira atitude foi jogar aquela cesta bem longe, longe mesmo, lembro que puxei Julia, bati nela, e ela chorava o que cortava mais meu coração mais minha raiva não me dava controle, levei Julia pra perto das árvores que haviam perto da casa dela, ela continuava a chorar muito, e eu sem pensar ou pensando até demais, apertei seu pescoço com toda força das minhas mãos, com toda raiva do meu corpo e toda dor meu sentimento.
Eu não conseguia mais ver o rosto de Julia, mais quando larguei ela percebi que Julia não estava mais acordada, ela estava gelada, estranha, deitada em meus braços, não sentia o coração de Julia, sua respiração, não sentia ela perto de mim, assim percebi que havia feito a pior crueldade com o meu amor, eu havia matado Julia, havia matado a minha Julinha. Sem saber o que fazer, peguei Julia nos braços e a levei até sua casa onde não havia ninguém, fiquei esperando até alguém aparecesse, e uns dez minutos depois apareceram à mãe de Julia e o irmão mais velho dela, sua mãe chegou e me viu com Julia nos braços, eu chorava muito, não sabia o que fazer, a mãe de Julia entrou em prantos, me xingava e chorava também, dizia que eu era um assassino e o irmão dela veio pra cima de mim mais não reagi deixei ele me bater o quanto ele pudesse, queria até que ele me matasse, queria sentir algo pior do que a dor daquela desilusão, mais não sentia nada.
Quando acordei estava aqui esperando você senhor policial, quero viver aqui na cadeia o resto da minha vida, porque eu mereço, eu preciso ficar aqui, nunca mais terei nada nessa vida, nem conseguirei ser ninguém, nem terei perdão de ninguém, estou sem ninguém, não tenho mais ninguém, mais o que mais me dói é não poder ter Julia, a minha Julia, aquela que eu vi na sua escola e me apaixonei no primeiro instantecom seu jeito meigo que me deu tantas alegrias, gordinha e linda, não tenho saudade dessa Julia que morreu, a Julia que
estava diferente não só na sua grande beleza porque quando tínhamos 1 ano e uns 2 meses de namoro ela cismou que estava feia, gorda e não tinha nada de interessante nela, como ela poderia pensar nisso meu deus?, Ela era linda, era loira porque tinha luzes no cabelo, os olhos esverdeados. Gordinha ela era sim, mais gordinha, não uma baleia como ela falava. Ela começou ir à academia e ficava por la horas, ia no cabeleireiro toda semana e no esteticista não podia faltar. Não demorou muito Julia conseguiu uma coisa quase impossível pra mim ela estava mais linda ainda, estava um pouco mais loira e seus olhos apareciam mais, seu rosto estava impecável e seu corpo estava lindo. Mais, além disso, ela estava estranha comigo, ela me tratava friamente, não entendia minhas brincadeiras, falava muito em meus defeitos em algumas observações,  o que me deixava extremamente triste, mais eu pelo contrario a tratava do melhor jeito possível, nunca falei nada que pudesse magoá-la, só que de nada adiantava. Ela me fez sofrer muito também, sofrer mais do que tudo nessa vida.
Eu vou ter essa dor pra sempre e nunca mais vou ter amor de ninguém eu mereço isso. Eu sei que o que eu fiz não tem desculpa alguma e tenho certeza que deus já está me castigando dês do dia em que Julia resolveu mudar e por mais que eu tenha feito isso você nunca poderá imaginar a dor que ta entalada no meu coração e o grande nó que está na minha garganta.
Meu nome é Thiago, tenho 19 anos e tenho a exata certeza: Preferia mil vezes que ela tivesse me matado por amor do que ficar agora com desamor nessa solidão eterna que viverei.

(gente esse é o maior post da vida até hoje, fiquei com medo que vocês ficassem com medo até de ler, mais eu queria escrever uma história e grande né, bom obrigada por quem ler, e tabém quem não ler, porque não ficou com coragem obrigada tbm, eu sei que era enorme.)

18 comentários:

Jéssica Escremin disse...

É um texto bem expressivo!!! E o pior de tudo é pensar que em algum lugar existiu ou existirá casos como esse... É como eu digo: o amor é lindo, mas também pode se tornar algo medonho, é 'castigante e bonito'. Nunca pensei em usar essas palavras em um significado só.. haha. Muito bom!

Roberta disse...

Que lindo... valeu a pena ler até o final... mas também é muito triste.

Faz a gente ficar pensando em várias coisas, neh. Pensar que o essencial à vida é invisível aos olhos. Ele a amava do jeito que era, não precisava mudar. Esse é o amor.

='(

Juliana Pires disse...

Muita gente faz tragédias em um momento de raiva, principalmente por motivos amorosos, e a consequência disso é o arrependimento e a dor de estar sem a pessoa amada!

Beijos

Daniela Filipini disse...

Putz, matou ela? Que amor hein :S
Meio precipitado, inconsequente.. Sorte que é ficção HEHE

- bia varanis ♥ disse...

aaaaaaa' o amor é mara ;D

Camila disse...

muito bom mesmo :)

Deni Maciel disse...

apaixonado é apelido *-*
que texto envolvente e gostoso
adorei

vim encher o saco como sempre,
abração
e o povo no meu blog forneceu versos para o Nosso AXÉ..não se assute com isso ao visitar meu blog kkkkkk
e feliz dia da meteorologia que acaba com a gnt...

disse...

gostei,muito.Puro e lindo *_*



Parabéns.


Beeijinhos;

Ariana disse...

És uma história maravilhosa!
O amor é lindo, pórem tem seus mistérios ne!
E as vzs acaba em tristeza!

Parabéns!

bjo

E. Vasconcelos disse...

Nossa, é lindo. E é de dar medo tambem, rs..
O amor da medo mesmo ;s
Mas enfim, adorei, muiito criatiivo :)
Daonde vem toda essa criatividade?
:D Bjão

'-Kelly Viana' disse...

lindo post..ele amava tudo nela e isso era o que importava!
ameii*

Anônimo disse...

É O AMOR.E isso que faz da vida ser assim.
BEIJOS

Bill Falcão disse...

A história ficou bem interessante, Carol. Tanto que eu só fui notar que era grande no final, lendo sua observação. Interessante também porque você escreveu de um ponto de vista masculino. Essa versatilidade ajuda a escrever.
Bjooo!!

Táxi Pluvioso disse...

Pois é, a paixão é doença que está a dar mais nos homens actualmente (creio que é defeito no futebol, não futebol de qualidade pra eles) :-))) bom domingo

*Natália* disse...

Caraca !
Li tudo, confesso !!
Que coisa doida...

Ai, nem sei o que dizer !

beiijos

Vovó Santa disse...

Muito bom ler suas coisas, lindo seu blog, pode me fazer uma visita quando quiser.

www.vovosanta.blogspot.com

Júlia Caroline disse...

Eu amei, principalmente a foto.
Você escreve muito bem também, está de parabéns!

RADIO DIGITAL MUSIC disse...

Nossa Amei Tdo se resolver escrever um livro me Fla...Vc Escreve muito bem msmo.. Parabéns!!